Procurar no Bloguefólio:


Widget UsuárioCompulsivo

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Tarefas de Natal

Pois é, na sala Fixe, apesar da crise, começa a "cheirar a Natal"...

Já pensamos o que queríamos fazer para comemorar esta época festiva e fizemos uma lista de tarefas a cumprir:
- Escrever as nossas cartas ao Pai Natal, com a técnica da colagem;
- Fazer enfeites para decorar o pinheiro, que vai ser iluminado pela Associação de Pais;
- Enfeitar a sala com decorações de Natal: pinheirinho, presépio, estrelas e outros enfeites...
- Ensaiar um número para a festa de Natal da escola;
- Fazer uma prenda para as famílias.
Para já é isto... e já não é pouco!
Hoje era dia das surpresas (rotina semanal de terça-feira), por isso vieram algumas  de casa, entre as quais... o Pai Natal! É verdade, o Pai Natal chegou à Sala Fixe pela mão do Santiago e não veio de trenó, não senhor! Veio de...
Porquinho-mealheiro!

Mas na caixinha das surpresas veio também...
Uma carta do Pai Natal!
Chegou pedindo"por favor" que escolhêssemos só 1 presente, giro e não muito caro.
Nós já sabemos porquê... por causa da crise e achamos que ele tem toda a razão.
Ainda para mais porque nós somos meninos e meninas cheios de sorte, temos muitos brinquedos em casa e há crianças que precisam muito mais do que nós!

Por isso tivemos que procurar muito bem, até havia uma revista para cada um; tivemos que ver os preços e escolher só 1 brinquedo. Não foi fácil... alguns precisaram de uma ajudinha, pois não sabiam se era caro ou barato.
Foi uma azáfama: entre o virar as páginas, e os "quero este", as tesouras e a cola quase não chegavam para a encomendas! 

Colagem feita, passamos ao texto: cada um pensou e disse o que a professora ia escrever.  A carta começava assim: Querido Pai Natal, e o resto foi por conta de cada um.

E depois de uma manhã assim passada, terminamos o nosso trabalho e enchemos o placard:
Entretanto, com ajuda da Celeste, ainda conseguimos terminar os enfeites para a árvore de Natal que a Associação de Pais vai decorar no exterior:
Foram feitos com reutilização de materiais: sacos plásticos e pacotes de leite.
Assim resistem ao tempo e são amigos do ambiente.
O pinheiro amanhã vai ficar lindo, não acham?

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Tudo às riscas...

Tal como o código de barras...
É algo que nos tem interessado muito, desde que descobrimos:

- Que os preços são o que temos de pagar pelas coisas;
- Que os preços vêm nas etiquetas dos produtos;
- Que nas etiquetas vêm também uma coisa às riscas com números;
- Que isso se chama código de barras.

A partir daí, não houve mais sossego: em tudo descobrimos códigos de barras... no pacote do leite, no iogurte, na embalagem das bolachas, nos livros da biblioteca, nos jogos de mesa... tem sido um "ver se te avias" a ver quem descobre mais códigos de barras!
Até nas nossas  carteiras tetrapak, que já levamos para casa, o descobrimos! 
Vejam lá se não ficaram o máximo...
Mas afinal, como apareceu e para que serve esse código de barras?
Foi o que a nossa professora nos quis ajudar a perceber com esta apresentação:

Estivemos a experimentar a arte dos códigos de barras, mas ainda não terminamos...
Entretanto começamos a recortar os que íamos encontrando, de tal forma que demos início ao cartaz dos códigos de barras. 
O esforço é para encontrar coloridos, porque os pretos são mais vulgares... mas já temos alguns e hoje descobrimos um ENORME! Vinha no cartão dos pacotes de leite.
Entretanto o Pedro fez-nos uma revelação: descobriu que os algarismos do código de barras têm significado, por exemplo, se ele começar por 5 6 0 quer dizer que o produto é de Portugal!
Fantástico, não?

Logo toca de procurar códigos de barras começados por 5 6 0 ... e não é que descobrimos?
Assim ficamos a saber que o leitinho que tomamos todos os dias na escola é de vaquinhas portuguesas...
- Então e se o código não começar por esses números?
- Não é feito em Portugal, é de outros países...
Até alguns adultos cá da escola aprenderam isto hoje... e é uma coisa muito importante, se quisermos adquirir produtos portugueses e assim ajudar a superar a crise no nosso país.

Também já experimentamos fazer o código de barras de um de nós, mas não deu tempo para fazer de todos... se quiserem tentar ai por casa, cliquem aqui:
e divirtam-se, inserindo os vossos dados e obtendo o vosso próprio código de barras!

Há coisas fantásticas, não há?
E miúdos fantásticos também...

sábado, 27 de novembro de 2010

Olha, que coisa mais linda...

... mais cheia de graça, tal como diz a canção!
Foi a encomenda dos nossos amigos dos Açores, da EB1/JI Prof. Maximino Rocha (blogue Blogando n@ escola) que chegou hoje!
- Humm... é duro!
- Tem coisas duras... serão pedras dos vulcões?
- Então a surpresa não tinha a ver com o vídeo que vimos do Pão-por-Deus? (já lá vão tantos dias...)
- Ah! São "burruçados" (rebuçados)!
- Não é nada, é pão... duro!
- Ou chupas...
- Acham que são doces?
- Pois, eles foram pedir doces, deve ser...
- E um saquinho, deve ter um saquinho!

Aberto o envelope - que também tinha código de barras (falaremos acerca disto adiante) - descobrimos o que tinha lá dentro:
Um desenho dos meninos do Jardim de Infância, da educadora Conceição, e um saquinho (que lindo!) com uns canudinhos que pareciam rebuçados e alguma coisa dentro que não sabemos como se chama...

Mas isso não nos impediu de cheirar (cheira a chocolate... eu acho que cheira a bolacha...) e depois provar (acho que tem mesmo migalhinhas de bolacha dentro... e chocolate, isso tem!)
 
 

 

 
Todos provaram  o doce depois do lanche, partido aos bocadinhos, pois teve que ser devidamente partilhado. Agora queremos saber o seguinte:

- Como se chama este doce;
- Como se faz;
- Quantos meninos têm o jardim de infância da vossa escola.

Amigos dos Açores, quando puderem digam alguma coisa...
E muito obrigada pela surpresa, gostamos muuuuuito!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

A arte dos porquinhos...

Têm servido de inspiração a muitos meninos da Sala Fixe...

São cor-de-rosa, gordinhos, baixos, têm duas orelhinhas arrebitadas e  rabinhos encaracolados, sabem quem são eles?





Os porquinhos, pois claro!

Já os desenhamos e pintamos, estamos a acabar de os "construir" a 3 dimensões...

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Deve ser...

Estávamos perto da hora de almoço e não havia água a sair das torneiras...


A resposta veio logo, na ponta da língua:

- Pois, deve ser da crise! Temos que ter paciência...

E as mãos "lavaram-se" com toalhetes!


domingo, 21 de novembro de 2010

Medidas...

Não são medidas para combater a crise, não senhor!
São as nossas medidas, o peso e a altura, que medimos há alguns dias atrás, para fazermos o nosso "Quadro das alturas". Perto do final do ano voltaremos a medir-nos e a pesar-nos, para vermos melhor o que crescemos...

O nosso quadro é diferente, está lá no alto, pertinho do tecto, porque foi feito com os fios com que medimos o nosso comprimento (claro que também usamos instrumentos de medida: a fita métrica para medir o  nosso tamanho e a  balança para medir o nosso peso e até já sabíamos quais o que se usam para esses fins). 


Escolhemos a cor do fio ao nosso gosto, mas só havia em rosa ou azul, o que suscitou uma discussão interessante: alguns achavam que havia "cores de meninas" e "cores de meninos", outros achavam que as cores são de todos!
Acabamos por concordar com estes últimos e assim muitos meninos escolheram o cor de rosa, porque é uma cor de que gostam e as meninas também escolheram o azul, se era a cor preferida delas. O mesmo aconteceu com a pedrinha que faz peso no final do fio.

Assim é muito fácil verificar quem é o mais alto da sala (a Simone) e o mais baixo (o João), bem como comparar alturas entre todos os meninos...


Também ficamos a saber que a idade não tem nada a ver com tamanho... o mais alto não tem que ser o mais velho! E é isso mesmo que acontece na nossa sala, o mais velho não é o mais alto, apesar de o mais novo  ser também o mais baixo...

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Se a crise fosse...

Conversas pela manhã... palavras atrás de palavras, puxando pela imaginação e criatividade...

Se a crise fosse uma cor, que cor seria?
Amarelo, como o fixe que está a chorar!  
Vermelha, como o fixe zangado! 


Preto, porque é feia.
Azul, não sei porquê...
Cor de rosa, como os porquinhos-mealheiros!
Cinzenta... porque a crise já é velha!

Se a crise fosse um animal, qual seria?
Um leão, porque mete medo!
Um touro grande, com cornos!
Um crocodilo (será porque come tudo?)
Um porquinho, como o mealheiro.
O Cuquedo, porque nunca ninguém o viu e todos acham assustador!


Se a crise fosse uma flor, que flor seria?

Uma rosa, porque pica!
Um girassol, porque anda atrás do sol e a crise anda sempre atrás de nós!



Se a crise fosse uma música, que música seria?
Uma música barulhenta, como o rock, porque incomoda as pessoas!



Uma conversa descontraída e divertida, que nos fez pensar...  e rir!

Padrões com euros

Foi uma actividade matemática diferente, já que andamos a brincar com o "sistema monetário"...
Quisemos conhecer o euro, ou seja, a nossa moeda, observando como são as notas e as moedas:
Vimos que têm cores e valores diferentes e alguns meninos até já conseguem identificar de quanto é cada moeda ou cada nota... só confundem um pouco os cêntimos com os euros!

Já recebemos uma máquina registadora com notas e moedas, para brincar ao faz-de-conta na área da casa da boneca. Eram coisas que queríamos, por isso fizeram sucesso!

Também brincamos com padrões no flanelógrafo.
A proposta era simples: formar  uma sequência (ou um padrão) com notas de 5, 10, 20 e 50 euros. Mas a actividade foi diferenciada de acordo com a nossa idade:
  • Os meninos grandes criaram os padrões que os mais pequenos "copiaram", colocando por baixo as notas que estavam presentes na sequência;
  • Os meninos grandes tiveram que continuar um padrão previamente construído e um bocadinho mais complicado.
Foi assim:




É uma actividade que, para além de constituir um desafio,  desenvolveu a nossa atenção, concentração e raciocínio lógico.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

A crise é... uma "porcaria"!

Pois, mas não foi esse o significado que encontramos na nossa pesquisa no Dicionário...


CRISE:
  • parece que é mesmo um momento perigoso;
  • há falta de trabalho, porque se ouve falar no desemprego;
  • e o Governo também deve ter a ver com a crise, por isso está numa situação difícil.

Aproveitando esta motivação para a poupança, fizemos também uma carteira com uma embalagem tetrapak, através da técnica de origami (dobragem de papel).
Não custou nada, foi só seguir a "receita" em formato de vídeo no Youtube.

  É só cortar, dobrar e colocar velcro para fechar!
Só falta a decoração final, a Margarida e o Afonso estão quase a terminar as suas carteiras!
E para isso só tiveram que trazer de casa um pacote de litro tetrapak.


Mas a "porcaria" (que vem no título desta postagem)  deriva do seguinte:
  • Andamos a descobrir porquinhos por toda a parte...
  • Nas imagens das revistas...
  • Desenhamos porquinhos...
  •  Pintamos porquinhos... 
Nota: Esta pintura é do Rodrigo B., de 3 anos, que a explicou assim: é um porquinho (com 4 patas, um focinho, um olho e um rabinho), uma flor, uma árvore, o sol, a nuvem e a comida do porquinho.
  • A Celeste também nos ensinou a fazer um porquinho com letras!

 E, quanto aos porquinhos-mealheiros de que já demos notícias, vão assim:

Secaram  bem "estendidos"
Já colamos algumas patas e focinhos...
E estão, novamente, a secar!

Precisamos urgentemente de mais caixas de ovos, senão não haverá patas e focinhos para todos!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Aprender a poupar...

Com algumas coisas a ajudar:

"Porquinho Mealheiro" foi a receita que recebemos na Caixinha das Surpresas:
não era de cozinhar, não senhor, era de fazer!
Uma receita passo-a-passo de como se faz um porquinho-mealheiro com papel-maché.
Claro que todos quisemos experimentar e até recebemos os balões necessários...
Foi só pôr mãos à obra...
Encher o balão
Forrá-lo com cola e papel de jornal

Agora estão todos a secar, já levaram a 2ª camada de papel.
Estão à espera que levemos para a sala caixas de ovos, para recortarmos os biquinhos e fazermos as 4 patas e o focinho... 

O Tomás L.  já fez as contas, precisamos de 5 biquinhos para cada porquinho: 4  para as patas + 1 para o focinho!

Por isso papás e mamãs, prestem atenção, há que nos recordar de colocar uma caixa  de ovos de cartão (ou uma bandeja daquelas onde vêm os ovos do supermercado) na nossa mochila!
Vá lá, não se esqueçam...

Diário Bloguefólio

Porquê e para quê um Blogue-Portefólio?

Uploaded on authorSTREAM by jusousa | 

De onde nos chegam amigos