Procurar no Bloguefólio:


Widget UsuárioCompulsivo

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Pequenos projetos e grandes tradições

Os projetos, na nossa sala, são como cogumelos, nascem um pouco por toda a parte!
Falamos dos mini projetos, muitas vezes individuais, de natureza diversa, baseados na nossa capacidade criativa e de iniciativa... mas com muito significado!

Eis alguns dos mais recentes, pela nossa fixe mais nova...
São flores e formas, para as quais escolheu sozinha os materiais (cartolina e eva) onde desenhou o que quis, recortou e depois (porque não?) colou (literalmente) no vidro da janela:  - É para decorar a sala para Primavera!
Depois dedicou-se à escrita espontânea...
Para quem não perceber a mensagem, eis o seu significado, descodificado pela própria
- O papá é forte, a mamã é gira e o mano é o maior :-)

Ainda houve, logo pela manhã (na hora em que mostramos uns aos outros alguma novidade trazida de casa) um jogo de sueca à moda da sala fixe, com o baralho de cartas do Gustavo... aproveitamos para fazer revisões de matemática ;-) brincando com os números, mas também com as poucas letras que lá surgem!

Acabamos o dia embrulhados de tanto embrulhar (mas ainda não chegou a hora de mostrar!) e, terminada essa tarefa, dedicamo-nos à seguinte, porque para a semana já é a...
A maior tradição da nossa freguesia!

Não temos tempo a perder, por isso dedicamos algum a visualizar imagens das peças de artesanato minhoto (pares de chinelas e tamancos) que vamos recriar, a pedido da Associação de Pais, para venda no Feirão das Rosas.
Primeiro pensamos bem e projetamos no papel como queremos decorar o nosso par... depois começamos a deitar as mãos à obra, pintando as peças de louça.
Ainda há muito o que fazer... e não é um trabalhoi simples!
Para além disso usamos tintas acrílicas, pelo que seria boa ideia que quem não usa bata trouxesse uma roupa apropriada, não vá o diabo tecê-las ;-)
Até amanhã!

Sem comentários:

Diário Bloguefólio

Porquê e para quê um Blogue-Portefólio?

Uploaded on authorSTREAM by jusousa | 

De onde nos chegam amigos